Conheça a técnica de análise do Valor Agregado utilizada para auxiliar gestores a controlar custos e prazos da obra!

Felipe de Freitas Gonçalves

Engenheiro Civil

Para qualquer tipo de projeto que seja elaborado, a etapa de planejamento é essencial para termos uma boa execução.

A técnica que será apresentada neste artigo, análise do valor agregado, permite de maneira visual e bastante intuitiva definir se a saúde financeira do projeto está compatível com o planejado, mesmo com tarefas parcialmente executadas.

Relatório Orçado x Realizado

Uma prática comum em muitas construtoras é analisar o ORÇADO x REALIZADO da seguinte maneira.

Inicialmente é elaborado um orçamento determinando o custo previsto da obra.

Durante a execução da obra os custos são apropriados nas linhas de orçamento possibilitando extrair qual a verba está disponível para cada serviço ou etapa.

Resultam em gráficos como este abaixo:

O problema desse tipo de relatório é que só é possível "cravar" que um serviço ultrapassou o custo orçado após a conclusão do mesmo.

Análise do Valor Agregado

Para solucionar esse problema podemos adotar o valor agregado para determinação dos indicadores de desempenho de custo e de prazo.

Essa técnica consiste em determinar 3 curvas cujos valores serão os custos no tempo.

Planejado

A primeira é a curva dos custos planejados, que consiste nos valores orçados distribuídos na linha do tempo conforme o planejamento da obra.

Custo Real

A segunda curva é do custo real, que consiste nos valores efetivamente comprometidos em cada mês.

Valor Agregado

Esse é o trunfo dessa metodologia, pois caso seja elaborado apenas as duas primeiras curvas, a análise seria bastante vazia.

Por exemplo, caso em um determinado mês a curva do planejado esteja acima do custo real, temos duas hipóteses. A primeira é que a obra conseguiu economizar, gastando menos do que o previsto. Entretanto é possível que a obra apenas não conseguiu realizar todas as tarefas, estando atrasadas.

Com o valo agregado não existe dúvida.

Esse valor consiste em determinar as atividades que fisicamente foram executadas no determinado mês, porém adotar os valores financeiros de orçamento.

Exemplo de Gráfico

Após a determinação das três curvas plotamos um gráfico como no exemplo abaixo.

Neste exemplo foi possível identificar que o valor agregado está menor do que as duas outras curvas, indicando que a obra em questão não está apenas atrasada, mas também mais cara do que o orçado e planejado.

Indicadores

Com esse gráfico em mãos podemos extrair dois indicadores importantíssimos para um entendimento simples que possibilita um rápido panorama da situação da Obra.

Ambos indicadores são positivos quando maior do que 1 e negativos quando menor do que 1.

Indicador de Desempenho de Prazo

Indicador de Desempenho de Custo

Considerações Finais

Espero ter contribuído para Engenheiros (as) que têm o objetivo de não apenas "tocar" uma obra mas de gerenciá-la com excelência.

Caso você tenha alguma outra técnica para gerenciar seus projetos compartilhe conosco nos comentários!